science care fisioterapia domiciliar

                                                                                                                                                                                                                                                                      

          

Empresa Especializada em Fisioterapia Domiciliar

RELAÇÃO DAS FORÇAS MUSCULARES COM AS ATIVIDADES DA VIDA DIÁRIA E QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS COM DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

 

Science Care Fisioterapia oferece atendimento de fisioterapia respiratória domiciliar para tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica, com profissionais altamente qualificados, com larga experiência e supervisionados por coordenadores titulados Mestres e Doutores pelas principais Universidades Nacionais e Internacionais.

Introdução

As atividades da vida diária (AVD's) na doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) são poucas toleradas pelo fato de estarem associadas a alterações ventilatórias e metabólicas. A simples elevação dos membros superiores altera o recrutamento muscular, resultando em assincronia toracoabdominal, aumento da dispneia, podendo interferir na sua qualidade de vida (QV).

Objetivo

Relacionar as forças musculares da cintura escapular(CE), tronco(T) e preensão palmar(PP) com os graus de dispneia nas AVD´s e secundariamente correlacioná-las com a QV em indivíduos com DPOC.

Materiais e Métodos

Foram avaliados 09 indivíduos com DPOC (III e IV) do sexo masculino - grupo DPOC (GDPOC) e 09 indivíduos saudáveis sedentários - grupo controle (GC). Todos foram submetidos às seguintes avaliações: prova de função pulmonar, forças musculares da CE, T, PP e questionários.

Resultados

Na análise intergrupos constatou que as variáveis espirométricas do GDPOC foram significativamente menores comparados aos do GC. Na análise intragrupo, para as medidas das forças musculares, observou-se diferença significativa para PP, T e CE entre ambos os grupos (GDPOC com média menor que GC). Somente na força da CE houve correlação positiva com as AVD´s e QQV.

Conclusão

Concluímos que indivíduos do GDPOC possuem, além do comprometimento pulmonar, apresentam diminuição significativa da força muscular da CE, T e PP quando comparado ao GC. Somente na força da CE houve correlação positiva com os graus de dispneia nas AVD´s e na QV. Sendo assim, a reabilitação pulmonar é um importante instrumento para o fortalecimento dessa musculatura proporcionando possivelmente um impacto positivo nos graus de dispneia durante as AVD´s e refletindo na QV. [K]

Fisioter. mov. vol.29 no.1 Curitiba Jan./Mar. 2016

Artigos Científicos